Museu Vivo terá bolinho caipira, música sertaneja e crochê em São José

Por: Share:
Junho é o mês da festa junina e, em especial, do bolinho caipira. Em várias cidades a iguaria revela os sabores da culinária popular. (Foto: Claudio Capucho/PMSJC
Junho é o mês da festa junina e, em especial, do bolinho caipira. Em várias cidades a iguaria revela os sabores da culinária popular. (Foto: Claudio Capucho/PMSJC

Na região do Vale do Paraíba junho é o mês das festas juninas e, em especial, do bolinho caipira. Em várias cidades a iguaria revela os saberes e os sabores da culinária popular.

Em São José dos Campos, neste domingo (5), das 14h às 17h, o prato será um dos saberes mostrados no Projeto Museu Vivo, promovido pelo Museu do Folclore (Avenida Olivo Gomes, 100 – Parque da Cidade). Além do bolinho, o projeto terá artesanato em crochê e música sertaneja.

O bolinho caipira será feito pela carioca Damiana Francisco, que mora em Caçapava. Ela conta que passou a infância na cozinha, observando sua mãe cozinhar e atenta às misturas de temperos que fazia, criando novos aromas e sabores.

Entre eles, o bolinho caipira, que sua bisavó, lá em Barra do Piraí (RJ), recheava com restinho da mistura do almoço. “Mas eu faço com carne moída”, ressalta.

No artesanato, o saber de como fazer peças em crochê será mostrado pela baiana Zélia Martins de Moura, que mora na Vila Maria, em São José. Zélia, hoje com 72 anos, conta que sempre trabalhou em salão de beleza e foi lá que aprendeu a fazer crochê e bordados. “As clientes faziam as peças enquanto esperavam para ser atendidas e eu aprendi só de olhar. Hoje é minha paixão.”

A música vai ficar por conta da dupla Erli Gomes da Silva e sua esposa Geraldina dos Santos, mineiros e moradores no Jardim Colonial, em São José. Erli revelou que aprendeu a tocar vendo e ouvindo outras pessoas.

“Eu fazia dupla com o Alvorada, mas ele morreu, aí minha mulher, que sempre nos acompanhava, passou a ser minha parceira na música também”, diz ele. “Eu comecei a cantar de brincadeira, agora, sou apaixonada pelo sertanejo”, conta Geraldina.

O Projeto Museu Vivo é uma realização da Fundação Cultural Cassiano Ricardo (FCCR) e Museu do Folclore de São José dos Campos, sob gestão do Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP). A atividade é realizada em pelo menos dois domingos do mês, das 9h às 17h, na área externa do museu e é aberta ao público.