Polícia prende mulher por crime de estelionato em Taubaté

Por: Share:
Folha de cheque clonado apreendida com a mulher no interior do Banco Itaú. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Folha de cheque clonado apreendida com a mulher no interior do Banco Itaú. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Por volta de 15h de ontem (12) a gerência de segurança do Banco Itaú em  São Paulo manteve contato com Policiais Civis da Delegacia de Polícia de Investigações Gerais de Taubaté, informando que uma mulher estaria no interior da agência do Banco Itaú, na avenida Independência, Bairro Jaboticabeiras, tentando fazer um saque com um cheque “clonado” e que um homem de altura média, de idade aproximada de 40 anos, de cor branca e calvo a aguardava do lado esterno da agência.

publicidade

Dois policias foram até o local e no interior da agência depararam com uma aglomeração de pessoas, abordando a indiciada A. C. S. S, 36 anos que não portava RG, apenas carteira de trabalho, e aparentava certo nervosismo, tomando conhecimento no local, por funcionários do banco, de que a ela esteve na agência com um cheque preenchido no valor de R$ 4.765,00 do correntista ‘W. R.F.S’, o qual foi verificado pela área de segurança do banco tratar-se de cheque clonado

Ao ser indagada sobre a procedência do cheque, a indiciada apresentou versões contraditórias sobre a origem do cheque, informou que havia recebido tal cheque no município de São Paulo por um serviço realizado em um salão,  não sabendo precisar qual o nome da pessoa ou local onde havia recebido tal cheque.

Posteriormente falou que teria pegado o cheque num ‘programa’ (prostituição) que havia feito com um cliente, juntamente com outras ‘meninas’ e que foi até a agência desta cidade porque estava indo para Aparecida pagar promessa e passou em Taubaté apenas para sacar o valor do cheque.

Segundo foi informado pela gerência de segurança do banco, a mulher já havia praticado o mesmo ‘golpe’ em outras ocasião.

Diante dos fatos,  os policiais aprenderam o cheque que a mulher tentava utilizar para cometer a fraude e deram voz de prisão em flagrante, a conduzindo até o DP onde o Dr. Carlos Prado Pinto a autuou  em flagrante delito pelo crime de estelionato, sendo encaminhada  à Cadeia Feminina de Pindamonhangaba.

VEJA TAMBÉM