Festidança terá palco amplo e espaço maior para o público em São José

Por: Share:
Haverá apresentações de grupos de dança de São José e região em sete Casas de Cultura da Fundação Cultural Cassiano Ricardo. (Foto: Divulgação/FCCR)
Haverá apresentações de grupos de dança de São José e região em sete Casas de Cultura da Fundação Cultural Cassiano Ricardo. (Foto: Divulgação/FCCR)

Em um novo palco, montado no Pavilhão Gaivotas do Parque da Cidade (Avenida Olivo Gomes, 100 – Santana), em São José dos Campos, o Festidança traz este ano para São José dos Campos, a Cia. Cisne Negro, o Balé da Cidade de São Paulo, um Pás de Deux de “O Corsário”, com a bailarina Aline Paulino, da Cia. PTP da Dance Theatre of Harlem, de Nova York (EUA).

Serão mais de 200 coreografias durante dez dias de festival, que começa no próximo dia 28 e segue até 7 de junho. Todas as apresentações e atividades serão gratuitas.

“O palco será maior e haverá mais lugares na plateia em relação aos outros anos, quando realizávamos grande parte do festival no Teatro Municipal”, comenta Bete Sanchez, que coordena o Festidança.

A abertura da 26ª edição do festival será com a Cia. Jovem de Dança, com a coreografia “Lugar Secreto – Meninos de Rua”. A peça de dança contemporânea, do coreógrafo Marco Sanchez, é inédita e conta a história de um garoto que embarca em uma mágica aventura depois de ouvir barulhos vindos do baú cheio de roupas velhas, cordas, bolas de malabares.

Também participa da estreia da edição de 2015, o grupo Faces Ocultas, de Salto, com uma montagem contemporânea do clássico “Carmen”.

Os dez dias de programação vão incluir workshops, participações especiais de companhias da região e palestras, além das mostras competitivas de ballet, jazz, dança de salão, danças urbanas, danças populares, jazz, estilo livre e sapateado.

Além do palco principal, haverá apresentações de grupos de dança de São José dos Campos e região em sete Casas de Cultura da Fundação Cultural Cassiano Ricardo (FCCR) e oficinas no Centro Cultural Clemente Gomes. Paralelamente, está programado o Encontro do Coletivo Contemporâneo de Dança (CCD), que terá mostra de dança, workshops e palestra.

O encerramento, em 7 de junho, terá a participação da Cia. Cisne Negro de São Paulo. A companhia apresentará um programa genuinamente brasileiro, com coreografias que levará a brasilidade, o gingado, os folguedos e as brincadeiras de infância para o palco. O espetáculo é composto pelas coreografias: Del Verde All Amarilo, Shogun, Cisnes, Sabiá e ABACADÁ.

O Festidança foi criado em 1989, pela FCCR, por meio da Comissão Municipal de Dança, com o objetivo de valorizar a criação coreográfica e o intercâmbio cultural entre os bailarinos. Hoje, com 26 anos de existência, ele figura entre os melhores festivais de dança do Brasil. Nesses anos já passaram pelo palco do Festidança cerca de 5 mil grupos, mais de 50 mil bailarinos de todo Brasil, com um público estimado em mais de 300 mil espectadores.

VEJA TAMBÉM