“Mostra Animações sem Fronteiras” exibe filmes em Campos do Jordão

Por: Share:

PortalR3Em abril, os jordanenses e todos aqueles que resolverem subir a Serra da Mantiqueira para desfrutar das maravilhas da natureza e do clima abençoado de Campos do Jordão no feriado prolongado de 21 de abril, poderão também curtir um bom momento cinema assistindo a exibição de uma série de filmes de animação realizados por diretores de diferentes origens e culturas, especialmente selecionados para compor a programação da terceira mostra temática do projeto Cineclube Araucária – O Poder do Cinema em Campos do Jordão.

A Mostra Animações sem Fronteiras destaca filmes produzidos na França, Japão, Austrália, Espanha, Argentina e Brasil. Alguns deles especialmente concebidos para o público adulto e outros destinados também ao público infantil. Todos eles, no entanto, da mais alta qualidade técnica e artística, numa clara demonstração de que a produção desse tipo de filme não mais se limita a apenas alguns poucos estúdios de Hollywood. De fato, na última década vimos a globalização deste gênero com ótimos filmes de vários países, inclusive o Brasil, dominando bilheterias e premiações, trazendo, assim, peculiaridades regionais para um gênero cinematográfico de uma riqueza sem fronteiras.

A Mostra acontecerá de 19 a 21 de abril, no Espaço Cultural Dr. Além com curadoria e realização do Cineclube Araucária que conta com o apoio do Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de São Paulo (ProAC) e a parceria da Secretaria Municipal de Cultura, AMECampos – Associação dos Amigos de Campos do Jordão, Oficina de Artes Rosina Pagan, Escola Estadual de Vila Albertina e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – Campus Campos do Jordão.

Confira programação completa:

16 de abril – quinta-feira – 19h30

A Mostra Animações sem Fronteiras começa com a exibição do filme: As Bicicletas de Belleville, de Sylvain Chomet (França). O longa conta a história de Champion, um menino solitário, que só sente alegria quando está em cima de uma bicicleta. Percebendo a aptidão do garoto, sua avó começa a incentivar seu treinamento para fazê-lo um verdadeiro campeão e poder participar do Circuito da França, principal competição ciclística do país. Porém, durante a disputa, Champion é sequestrado. A avó e o cachorro Bruno partem então em sua captura, indo parar em uma megalópole localizada além do oceano, chamada Belleville. Classificação indicativa: 10 anos.

17 de abril – sexta-feira – 19h30

O público que gosta de um filme romântico não pode perder Vidas ao Vento, de Hayao Miyazaki (Japão). Um belo espetáculo visual que conta uma história de amor e demonstra a inocência dos jovens japoneses diante da guerra. O roteiro de Hayao Miyazaki retrata a vida Jiro Horikoshi, um jovem cujo sonho maior era pilotar aviões. No entanto, a miopia o fez desenvolver uma outra aptidão: a de desenhar máquinas voadoras potentes, o que o levou a projetar aviões para o Japão durante a Segunda Guerra Mundial. Além da paixão pelo ar, o personagem também é apaixonado desde a adolescência por Naoko, uma linda jovem que é atingida pela epidemia de tuberculose que assolou o país durante a guerra. O filme, anunciado como despedida do diretor do mundo da Sétima Arte, é baseado numa história real e isso o difere dos seus trabalhos anteriores. Classificação indicativa: 12 anos.

18 de abril – sábado – 19h30

A sessão fica por conta da exibição de Chico & Rita, de Fernando Trueba, Tono Errando e Javier Mariscal (Espanha), que se uniram para desenhar a história de Chico, um jovem pianista cubano que tem grandes sonhos e de Rita, uma bela cantora com uma grande voz que começa em Havana, no final da década de 1940. Eles se conhecem e se encantam um pelo outro em uma apresentação dela. Após uma noite de amor, Rita é surpreendida pela presença de Juana, uma das namoradas de Chico. A situação faz com que eles se afastem o que apenas é contornado quando Ramon, amigo dele, convence Rita a participar com Chico de um campeonato na rádio local. O trabalho faz com que eles se reaproximem, até que o sucesso dela faz com que Chico tenha uma crise de ciúmes que os separa por um longo período. Classificação indicativa: 14 anos.

19 de abril – domingo – 15h

Será a vez de o público infantil assistir Um Time Bom de Bola, de Juan José Campanella. A estreia do premiado diretor argentino no gênero animação conta a história de Amadeo, um garoto aficionado por pebolim e que construiu os próprios jogadores e com eles realizou as mais incríveis jogadas. Um dia ele é desafiado por Ezequiel, um arrogante garoto que vive se gabando de ser um exímio jogador de futebol de verdade. Mas a partida épica entre os dois não foi vencida por ele. Anos mais tarde, Ezequiel retorna rico e com seu dinheiro quer transformar a cidade natal em uma espécie de parque temático. Agora, para salvar a cidade, Amadeo terá que aceitar o desafio proposto pelo vilão: enfrentá-lo numa partida de futebol verdadeiro. É quando algo mágico acontece e os bonecos da mesa de jogo ganham vida para ajudar o seu companheiro das grandes jogadas. Classificação indicativa: Livre

20 de abril – segunda-feira – 19h30

Mary e Max – Uma Amizade Diferente, de Adam Elliot (Austrália) mostra uma história de amizade entre duas pessoas muito diferentes: Mary Dinkle, uma menina gordinha e solitária, de oito anos, que vive nos subúrbios de Melbourne, e Max Horovitz, um homem de 44 anos, obeso e judeu que vive com Síndrome de Asperger no caos de Nova York. Alcançando 20 anos e dois continentes, a amizade de Mary e Max sobrevive muito além dos altos e baixos da vida. A comunicação entre os dois é uma viagem que, além do sentimento, explora o autismo, o alcoolismo, a obesidade, a cleptomania, a diferença sexual, a confiança, as diferenças religiosas e muito mais. Classificação Indicativa: 14 anos

21 de abril – terça-feira – 19h30

Fechando a Mostra com chave de ouro, teremos Uma História de Amor e Fúria, de Luiz Bolognesi. Um filme de animação que retrata o amor entre um herói imortal e Janaína, a mulher por quem é apaixonado há 600 anos. Como pano de fundo do romance, o longa de Bolognesi ressalta quatro fases da história do Brasil: a colonização, a escravidão, o regime militar e o futuro em 2096, quando haverá guerra pela água. Classificação indicativa: 12 anos

VEJA TAMBÉM