“Mobi será um marco estético para São José”, diz Ruy Ohtake

Por: Share:
Ohtake, que desenvolveu projetos como o do expresso Tiradentes e do monotrilho Morumbi, ambos na capital paulista, será responsável pela arquitetura, paisagismo e iluminação do sistema joseense. (Foito: Antônio Basílio/PMSJC)
Ohtake, que desenvolveu projetos como o do expresso Tiradentes e do monotrilho Morumbi, ambos na capital paulista, será responsável pela arquitetura, paisagismo e iluminação do sistema joseense. (Foito: Antônio Basílio/PMSJC)

O projeto Mobi, sistema de transporte de massa com o uso do BRT (Bus Rapid Transit) em São José dos Campos, terá assinatura de Ruy Ohtake, um dos mais renomados arquitetos do Brasil. O anúncio da parceria que colocará os traços de Ohtake na paisagem urbana do município foi feito nesta quinta-feira (16), durante apresentação no Paço Municipal.

publicidade

O evento contou com a presença do prefeito, do vice, do diretor executivo da Fusp (Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo), José Roberto Cardoso, além de autoridades do município, representantes de entidades de classe e empresários da construção civil.

Ohtake, que desenvolveu projetos como o do expresso Tiradentes e do monotrilho Morumbi, ambos na capital paulista, será responsável pela arquitetura, paisagismo e iluminação do sistema joseense. Os projetos serão parte do estudo contratado pela Prefeitura junto à Fusp para a implantação do Mobi.

“Foi com muito entusiasmo que nós recebemos o convite para colaborar com a Fusp na elaboração do projeto Mobi, o BRT de São José dos Campos. A importância do projeto é desnecessário ressaltar, porque vai beneficiar de imediato toda a população que utiliza o transporte coletivo”, disse o arquiteto ao iniciar sua apresentação.

Terminais
Na apresentação, o arquiteto mostrou, em esboços feitos à mão, detalhes dos novos terminais de parada, onde os passageiros farão o embarque e desembarque dos veículos do Mobi. Ohtake garantiu que, além de funcionais, os novos terminais serão impactantes para a estética do município.

“As paradas serão um ponto de referência na cidade. Além do conforto para os que estão esperando o ônibus, construtivamente sustentáveis, serão principalmente um marco estético para a cidade”, disse o arquiteto.

Entre os conceitos detalhados por Ruy Ohtake, também está o uso de energia solar e a possibilidade de construção em apenas seis dias para cada terminal. Ao todo, o Mobi terá 75 paradas, distribuídas por 51 km de linhas, em todas as regiões da cidade.

Prazos
O prazo para a conclusão do projeto básico é 30 de junho, mas Ruy Ohtake afirmou durante a apresentação que deverá antecipar a entrega.

A Fusp foi contratada para realizar o projeto básico do Mobi e formalizou uma parceria com o arquiteto Ruy Ohtake para desenvolver o trabalho. O prefeito espera o início das obras entre dezembro deste ano e janeiro de 2016.

“Se nós não fizermos muita coisa em relação à mobilidade, nós teremos sérias dificuldades no futuro. Então, o Mobi vem exatamente para o fortalecimento do transporte público, uma prioridade do transporte público, que é o caminho que todas as cidades têm que trilhar hoje, se quiserem ter um transporte digno para uma sociedade avançada, como é a de São José dos Campos”, disse o prefeito.

Mobi
No Mobi, os ônibus vão trafegar em canaleta segregada, com uma extensão aproximada de 51 Km em todas as regiões cidade. Também serão construídas estações que permitam a cobrança externa, para tornar mais rápido o acesso dos passageiros e aumentar velocidade operacional.

O sistema conta ainda com monitoramento centralizado, ônibus com GPS, semáforos inteligentes para passagem preferencial aos coletivos, integração com o sistema de transporte público e informações em tempo real ao usuário. Esse sistema tem sido adotado em cidades de médio porte para o transporte rápido de massa.

Na semana passada, a Prefeitura abriu o edital para a pré-qualificação das empresa interessadas em participar da obra. A entrega dos envelopes pode ser feita até o dia 20 de maio.