São Sebastião: Projeto Ventos & Velas realiza a primeira aula no mar

Por: Share:
Turma da manhã em sua primeira aula no mar. (Divulgação/Seesp/PMSS)
Turma da manhã em sua primeira aula no mar. (Divulgação/Seesp/PMSS)

A manhã de sexta-feira (20), foi muito especial para a turma de iniciantes do curso básico-1 do Projeto Ventos & Velas da Secretaria de Esportes em parceria com o Sesi (Serviço Social da Indústria). Após a primeira semana de aula teoria, foi dia das duas turmas, manhã e tarde, irem pela primeira vez para aula no mar.

De acordo com Carlos Alberto de Jesus, o Carlito, instrutor de vela, esta foi a primeira vez que a turma foi para água para uma vivência especial, quando testam algumas habilidades natatórias e se ensinam algumas técnicas ao mar necessárias antes do início da utilização dos barcos.

Na ocasião cada aluno é avaliado diante de seus conhecimentos na água, como natação e medo, para que assim possam ser acompanhados de forma personalizada. “Todos, porém, sempre utilizam colete salva-vidas, até mesmo os que dominam o ambiente aquático, pois o equipamento é obrigatório”, explicou o instrutor.

Houve também instruções básicas de salvamento, como retirar uma vítima da água e primeiros socorros, numa aula dada pelo salva-vidas do Sesi, Diogo Roberto de Assis.

A experiência também incluiu a participação dos instrutores Venino Pontes de Matos, Pedro Paulo Ganjeiro e Wallace de Araújo Moreira, o Nenê,  coordenador do curso.

Ariel Kevin dos Santos Silva, 11, e Sandriele Silva Barroso, 15, estavam ansiosos para entrar no mar. “Eu procurei este esporte, a princípio, pra perder o medo que tinha da água e agora, mesmo com ela fria, não vejo a hora de poder entrar e começar o curso prático”, disse a adolescente. “Quero aprender tudo que puder e quem sabe me tornar uma instrutora de vela”, acrescentou  paraense que reside no município há um ano.

Ariel, por sua vez, falou de seu interesse pelo esporte. “Eu cheguei à cidade em dezembro e logo me interessei pela vela”, falou. “Espero aprender bastante para poder participar de competições e até sonho em ser campeão”, declarou o garoto que descobriu ser conterrâneo de Adrielle no curso, pois também veio do Pará.

VEJA TAMBÉM