Parque Tecnológico em São José inaugura Centro Empresarial II

Por: Share:
O novo Centro Empresarial ocupa uma área de 12 mil metros quadrados, distribuídos em dois pavimentos. (Foto: José Aparecido/PMSJC)
O novo Centro Empresarial ocupa uma área de 12 mil metros quadrados, distribuídos em dois pavimentos. (Foto: José Aparecido/PMSJC)

O Parque Tecnológico – São José dos Campos inaugurou no último sábado, dia 28, o Centro Empresarial II, que tem capacidade para atender até 50 empresas de base tecnológica que desenvolvem atividades de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P,D&I).

A solenidade teve a presença do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, do vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia de São Paulo, Márcio França, do prefeito de São José dos Campos, e de diretores de instituições de ensino e pesquisa e de fomento, entre elas, Financiadora de Projetos (Finep), Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), além de representantes de entidades civis e militares.

O novo Centro Empresarial ocupa uma área de 12 mil metros quadrados, distribuídos em dois pavimentos. A obra foi financiada com recursos dos governos federal, municipal e estadual e do Parque Tecnológico. Foram investidos aproximadamente R$ 18 milhões.

Do total dos recursos financeiros, a Finep, vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia, liberou R$ 7,1 milhões. O governo estadual, R$ 6 milhões. A Prefeitura de São José dos Campos investiu R$ 2,5 milhões e o Parque Tecnológico mais R$ 2,1 milhões na obra.

O ministro Aldo Rebelo destacou a importância de o país investir em inovação como meio de tornar as empresas e o Brasil mais competitivo no exterior. “Não há ciência sem pesquisa. É fundamental investir. Sem inovação, perdemos a indústria de vanguarda”, afirmou o ministro.

Aldo Rebelo destacou que o Parque Tecnológico é um “esforço para atrair, acolher, estimular e proteger empresas e empregos de alta tecnologia, que geram salários e tributos de alta tecnologia”.

O vice-governador Márcio França afirmou que o governo estadual vai continuar ajudando o Parque Tecnológico de São José dos Campos. “O Parque Tecnológico de São José dos Campos é uma referência para outros parques do Estado e do país”, declarou o vice-governador.

Para o diretor geral do Parque Tecnológico, Marco Antonio Raupp, o Centro Empresarial II é uma demonstração positiva da participação conjunta das três esferas de governo. “É um modelo altamente positivo. As três esferas governamentais perceberam a importância do desenvolvimento regional”.

Atualmente, o Centro Empresarial II abriga 21 empreendimentos de base tecnológica de segmentos de informática, telecomunicação, design de ambientes, aeroespacial, defesa e saúde.

O espaço contempla também um centro de serviços de apoio às empresas e área para instalação de laboratórios multiusuários. A seleção dos empreendimentos foi realizada por meio de edital, lançado pelo Parque Tecnológico em 2013.

Durante a solenidade, Marco Antonio Raupp anunciou o projeto para a construção do Centro Empresarial III, com capacidade para atender mais 25 empresas de base tecnológica, previsto para 2017.

Sobre o Parque Tecnológico

Instalado em um dos mais importantes polos tecnológicos do Brasil, o Parque Tecnológico – São José dos Campos tem como objetivo fomentar o surgimento, o crescimento e a consolidação de empresas inovadoras, atuando em segmentos de elevada densidade tecnológica. Em operação plena desde 2009, foi o primeiro a receber credenciamento definitivo pelo Sistema Paulista de Parques Tecnológicos e o volume de investimentos atraídos até 31 de maio de 2014 totalizava R$ 1,83 bilhão – R$ 1,37 bilhão com origem na iniciativa privada e R$ 460 milhões no poder público, nas esferas federal, estadual e municipal.

O ambiente sinérgico estimula o empreendedorismo e os empresários contam com instalações de excelente infraestrutura, serviços de apoio especializados, acesso às linhas públicas de fomento e aos fundos de capital de risco. Além da disponibilidade de mão de obra de elevado nível e estruturas laboratoriais oriundas de universidades e institutos de ciência e pesquisa presentes no Parque Tecnológico – São José dos Campos.

VEJA TAMBÉM