Urbam lança campanha para descarte correto de pilhas e baterias

Por: Share:
São José é uma das poucas cidades do País a praticar a destinação ambientalmente adequada de pilhas, baterias e celulares usados. (Foto: Charles de Moura/PMSJC)
São José é uma das poucas cidades do País a praticar a destinação ambientalmente adequada de pilhas, baterias e celulares usados. (Foto: Charles de Moura/PMSJC)

A Urbam lança, a partir desta terça-feira (10), uma campanha educativa sobre o descarte correto de pilhas e baterias. A equipe de educação ambiental da Urbam vai realizar visitas para conscientizar a população nas imediações dos pontos de coleta. O objetivo é alertar sobre o descarte correto nos contêineres de cor laranja que ficam em locais públicos de grande circulação de pessoas.

publicidade

São José dos Campos é uma das poucas cidades do País a praticar a logística reversa para a destinação ambientalmente adequada de pilhas, baterias e celulares usados, como determina a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

Por meio de Termo de Cooperação entre a Urbam e a empresa GM&C Logística, em vigor a partir de 2013, é dada destinação correta a este grupo de resíduos. Com esta parceria, a Urbam deixou de ter despesas com a coleta e transporte desses materiais para um aterro industrial. Desde o início do termo de cooperação foram recolhidos 6,16 toneladas de pilhas e baterias.

A GM&C, sediada em São José dos Campos, é especializada em Logística Reversa para Resíduos Eletroeletrônicos e Cabos, com rastreabilidade via WEB. Uma de suas contratantes é a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), grupo de fabricantes de pilhas e baterias, para quem realiza todo o serviço de logística reversa no território nacional.

O trabalho envolve a triagem, a separação destes resíduos por fabricante (uma vez que cada um deles será responsável pelo custeio dos serviços conforme preconizado na PNRS), para então fazer a destinação ambientalmente correta junto ao reciclador.

Na reciclagem das pilhas, o material contaminante é transformado em sais que servirão de matéria-prima para outras indústrias como, por exemplo, a de pigmentos de tintas e de cerâmicas.

No Brasil, são produzidas aproximadamente 800 milhões de pilhas comuns por ano. Cada uma tem o poder de contaminar o solo por cerca de 50 anos. Nem todos os tipos de pilhas e baterias apresentam o mesmo risco ambiental, mas lançá-las ao lixo comum é um erro grave e recorrente.

As pilhas contém mercúrio e chumbo. O mercúrio é considerado altamente tóxico para o homem e animais, podendo causar, dentre outras coisas, perda de memória, alterações de metabolismo, irritações na pele e danos ao sistema respiratório. O chumbo também pode causar perda de memória, dores de cabeça, distúrbios digestivos e tremores musculares.

Os dois componentes também são usados na fabricação das lâmpadas fluorescentes. Por isso, é importante não descartá-las no lixo comum. Esses elementos químicos são “cumulativos” e permanecem no organismo humano por muitos anos.

Coleta de pilhas e baterias

A Urbam disponibiliza contêineres na cor laranja em alguns pontos estratégicos da cidade para a coleta de pilhas e baterias usadas. São 30 pontos de coleta em locais públicos como: parques municipais, Paço Municipal, Câmara Municipal, sede da Urbam, bibliotecas, centros poliesportivos e culturais e outros. Os endereços estão disponíveis no site da Urbam.

As pilhas, baterias, celulares usados (incluindo seus acessórios) e pequenas quantidades de lixo eletrônico também podem ser encaminhadas aos 11 Pontos de Entrega Voluntária (PEVs) existentes em São José. A Urbam realiza o armazenamento temporário e a destinação adequada de todos os resíduos perigosos recebidos.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *