Exposição reúne obras de arte adaptadas para incluir público com deficiência




Obras  do  acervo  da  Pinacoteca  do  Estado  de  São  Paulo  foram  reproduzidas  e  adaptadas  para              incluir  o  público  com  deficiências  sensoriais,  motoras  e  intelectuais. (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

Obras do acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo foram reproduzidas e adaptadas para
incluir o público com deficiências sensoriais, motoras e intelectuais. (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

Obras do acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo foram reproduzidas e adaptadas para incluir o público com deficiências sensoriais, motoras e intelectuais. As obras, que ficam no Sesc Santo André até 1º de março, permitem que os visitantes usem outros sentidos, além do visual, por meio de recursos como reproduções em relevo, maquetes tridimensionais, sons, aromas, textos em braile e audiodescrições.

publicidade

São 14 reproduções fotográficas das obras originais. Junto de cada uma, o visitante pode tocar em uma maquete que reproduz a cena retratada e ter contato com o relevo de uma placa, além de conhecer outros detalhes sobre a peça no texto em braile. Um áudio também ajuda na percepção de cada obra. Os recursos multissensoriais fazem com que o público tenha diversas interações com a mostra, que busca ampliar a apreciação da arte por meio da estimulação dos sentidos.

A seleção inclui obras brasileiras do final do século 19 e meados do 20, com temas das artes plásticas como natureza morta, retrato, abstração e paisagens rurais e urbanas. Almeida Junior, Carlos Scliar e Di Cavalcanti estão entre os pintores escolhidos para essa mostra.

A curadora Amanda Tojal destaca que os objetivos propostos pela exposição reforçam a ideia presente na nova museologia ao demonstrar que esses espaços podem e devem ampliar sua forma de comunicação com o público, independentemente das diferenças. Segundo Amanda, isso faz com que esses espaços tornem-se instrumentos de inclusão social.