Alckmin diz que o governo luta para aumentar a produção de água




O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, informou hoje (3) que o governo está “trabalhando com absoluta responsabilidade e sempre com orientação de natureza técnica para aumentar a produção de água”. Ele deu essa declaração, no Palácio dos Bandeirantes, sede do executivo estadual, ao ser perguntado sobre a possibilidade de adoção de um rodízio com até cinco dias sem abastecimento.

publicidade

“Temos uma seca dura e localizada no Cantareira, a noroeste de São Paulo e ao sul de Minas Gerais”, lamentou o governador. Ele, no entanto, observou que a população tem colaborado economizando no consumo. Alckmin disse esperar que os investimentos para aumentar a oferta de água comecem a frutificar o mais rápido possível.

Pela projeção dele, até maio ou, possivelmente, até abril deste ano, estará concluída a primeira linha de um conjunto de tubos de interligação para a transferência de água do Sistema Rio Grande para a represa de Taiaçupeba, obra que deve fortalecer a oferta no Alto Tietê.

No final da manhã de hoje (3), Alckmin assinou decreto ampliando a oferta de benefícios fiscais para o setor sucroalcooleiro. Ele esclareceu que a decisão anunciada ontem (2), que permitiu reduzir a alíquota de recolhimento do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de 18% para 7% em torno do galão de água não está associado ao problema da falta d’água.

Segundo ele, o estímulo visa dinamizar um dos setores que geram empregos, totalizando 14 mil postos de trabalho. Em toda a cadeia, ele calcula que estão envolvidos 30 mil trabalhadores. “O ajuste fiscal estimula a economia, o emprego e a renda”, afirmou.