Em Pindamonhangaba, Defesa Civil remove 80 colmeias de abelha

Por: Share:
A orientação para os munícipes que encontrarem enxames de abelha é entrar em contato com a Defesa Civil pelos telefones 3643-1084 ou 199, quem preferir pode enviar um e-mail para defesa@pindamonhangaba.sp.gov.br. (Foto: Divulgação/PMP)
A orientação para os munícipes que encontrarem enxames de abelha é entrar em contato com a Defesa Civil pelos telefones 3643-1084 ou 199, quem preferir pode enviar um e-mail para defesa@pindamonhangaba.sp.gov.br. (Foto: Divulgação/PMP)

A Defesa Civil está 24 horas para prestar serviços à comunidade e os profissionais são qualificados e bem preparados para atuar em ocasiões variadas. Em 2014 houve um tipo de registro bem comum em áreas urbanas, enxame de abelhas, foram mais de 80.

publicidade

Os enxames de abelhas também foram retirados de locais incomuns. No dia 17 de dezembro, por exemplo, a equipe do Setor de Elétrica da Secretaria de Obras solicitou apoio da Defesa Civil para remover um enxame que estava embaixo de uma tampa de cimento em uma praça que está sendo construída.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil as abelhas estão se locomovendo para áreas urbanas devido aos problemas de desmatamento e queimadas. Ele informa que a retirada do enxame na praça que está sendo construída foi realizada por ele, por um funcionário e com o apoio de um apicultor voluntário. O trabalho durou três horas.

A orientação para os munícipes que encontrarem enxames de abelha é entrar em contato com a Defesa Civil pelos telefones 3643-1084 ou 199, quem preferir pode enviar um e-mail para defesa@pindamonhangaba.sp.gov.br.

Além dos casos de abelha, também foram atendidas ocorrências envolvendo marimbondos, remoção de animais presos em telhados e animais silvestres. Nos casos de animais silvestres, a Defesa Civil recomenda o acionamento do Abrigo de Animais pelo fone 3648-2959.

A Defesa Civil conta com funcionário apicultor capacitado pelo Senar de Pindamonhangaba e também com a ajuda voluntária de apicultores da cidade, o senhor Antônio, “Ticão” e a esposa, e demais apicultores voluntários que dispõe o tempo para ajudar nessa tarefa de tamanha importância, tanto para a segurança do munícipe quanto para preservação das espécies.

Recomendações à população:
– Nunca tente exterminar um enxame de abelhas ou a própria colmeia (queimando ou qualquer outro modo) , pois é crime ambiental, além de correr o risco de ser atacado,
– Nunca permita que pessoas não qualificadas (sem formação de apicultor), realizem a remoção ou o próprio extermínio de colmeias ou enxames,
– Não deixar que as abelhas construam sua colméia , em suas residências, pois a abelha é mais defensiva (ou seja atacam), pois elas defendem o alimento (mel) e principalmente as crias;
– Não jogar móveis velhos em terrenos baldios, pois, podem ser ocupados por abelhas e podem causar acidente em pessoas que estão limpando o terreno ou passando por eles.