Ciclismo

Díaz faz 10º tempo no CRI e mantém liderança no Tour de San Luis

Equipe brasileira sofre mais uma baixa em seu grupo e agora segue com 4 atletas




Díaz durante a prova de contrarrelógio, onde ficou com o 10º lugar. (Foto: Luis Claudio Antunes/PortalR3)

Díaz durante a prova de contrarrelógio, onde ficou com o 10º lugar. (Foto: Luis Claudio Antunes/PortalR3)

Com um décimo lugar na prova de contrarrelógio, que foi realizada nesta sexta-feira (23), Daniel Díaz manteve a liderança geral no 9º Tour de San Luis de Ciclismo.

publicidade

O atleta da Funvic São José dos Campos ainda aumentou sua diferença sobre Rodolfo Torres, que é o segundos colocado em 9 segundo e agora está mais líder do que nunca, com 1min09 de vantagem.

No contrarrelógio, o italiano Adriano Malori, da Movistar Team, repetiu o feito de 2014 e venceu a prova com o tempo de 20min07. O segundo lugar ficou com o campeão mundial de Estrada, o polonês Michal Kwiatkowski, da Etixx – Quick Step, atrás 4 segundos do campeão.

O canadense Hugo Houle, da AG2R La Mondiale, ficou com o terceiro lugar. Ele completou os 17,4 km atrás 5 segundos do campeão Malori.

MAIS UMA BAIXA NA FUNVIC
Após o abandono de Magno Nazaret, ainda na primeira etapa, a equipe Funvic perdeu mais um atleta. Alex Diniz, passou mal após a quarta etapa, e precisou ser atendido pelos médicos que acompanham a competição.

Diniz já está bem, mas acabou não sendo liberado pelos médicos para largar a prova de contrarrelógio e, com isso, está fora desta 9ª edição do Tour de San Luis.

Faltando apenas duas etapas para o fim da competição, a Funvic tem agora Daniel Díaz, Kleber Ramos, Francisco Chamorro e Antônio Garnero.

Pódio do contrarrelógio, com Malori, Kwiatkoski e Huoe. (Foto: Luis Claudio Antunes/PortalR3)

Pódio do contrarrelógio, com Malori, Kwiatkoski e Huoe. (Foto: Luis Claudio Antunes/PortalR3)

PENÚLTIMA ETAPA
Neste sábado os atletas partem para a penúltima etapa da competição, que terá 117,5 km. Embora seja a mais curta das etapas de Estrada desta edição, o percurso é duríssimo, com o fim da etapa chegando no alto do Filo Sierra Comechingones, que fica acima da tradicional chegada do Mirador del Sol.