Alckmin é reempossado para novo mandato à frente de SP




Alckmin é cumprimentado pelo cardeal arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer. (Foto: A2 Fotografia / Diogo Moreira)

Alckmin é cumprimentado pelo cardeal arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer. (Foto: A2 Fotografia / Diogo Moreira)

Na sessão de posse, na manhã de hoje (1º), na sede da Assembleia Legislativa de São Paulo, o governador Geraldo Alckmin destacou avanços no saneamento das finanças do estado e citou investimentos – que somaram R$ 74 bilhões – nos últimos quatro anos, com destaque em transporte, saúde e educação.

publicidade

Em seguida, fez uma comparação com a Argentina. Ele disse que o país vizinho tinha, há 20 anos, o mesmo Produto Interno Bruto (PIB) do estado de São Paulo. Hoje, disse o governador, São Paulo tem o dobro do PIB argentino: US$ 800 bilhões.

Após passar as tropas em revista, do lado de fora do prédio, o governador e a comitiva seguiram para o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, para o ato de posse dos 25 secretários que comporão a nova equipe de governo.

Ele encerrou o pronunciamento fazendo uma homenagem ao ex-governador Mário Covas, morto em 2001, quando Alckmin ocupava o cargo de vice-governador. O governador repetiu uma frase de Mário Covas: “São Paulo não pode esperar um dia, um minuto, para oferecer ao país sua parcela de luta. São Paulo nunca vai virar as costas ao Brasil”.

Esta é a quarta vez que Geraldo Alckmin assume o comando do Executivo estadual. A primeira foi em 2001, quando substituiu Mário Covas. Em 2002, foi eleito para o cargo, mas não chegou a cumprir o mandato, afastando-se, em 2006, para disputar a Presidência da República. Em 2010, conseguiu novamente ser conduzido ao cargo. Foi eleito em 2014, com 57,31% dos votos válidos, recebendo 12,2 milhões de votos.

Alckmin é médico e atua vida política desde os 19 anos.