São José pode receber 1º Centro de Inovação para games do Brasil

Author: Share:
Presidente da CBEE, Celso Sansiviero, no 1º Seminário de Games e Gameficação como Estratégia Empresarial e Educacional. (Foto: Claudio Capucho/PMSJC)
Presidente da CBEE, Celso Sansiviero, no 1º Seminário de Games e Gameficação como Estratégia Empresarial e Educacional. (Foto: Claudio Capucho/PMSJC)

A cidade de São José dos Campos pode receber o primeiro Centro do país dedicado à Inovação e Treinamentos integrados à Indústria Brasileira de Jogos Digitais. O anúncio foi feito nessa quarta-feira (26) pelo presidente da Confederação Brasileira de Esportes Eletrônicos (CBEE), Celso Sansiviero, no 1º Seminário de Games e Gameficação como Estratégia Empresarial e Educacional.

publicidade

O seminário for realizado no Parque Tecnológico por iniciativa da Prefeitura, com coordenação da Secretaria de Turismo e da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (SDECT), e do CECOMPI.

“A CBEE vai participar como parceira do Programa Nacional de Educação Eletrônica, que será lançado em breve pelo Governo Federal. Neste contexto, deverão ser criados em todo o país Centros de Inovação e Treinamentos integrados à Indústria Brasileira de Jogos Digitais. A ideia é que o Parque Tecnológico de São José dos Campos receba o primeiro destes centros, que incluiria um núcleo de Games, Robótica e Simuladores”, disse Sansiviero durante o seminário, que atraiu mais de 100 pessoas.

Todas as autoridades presentes no evento, entre elas o prefeito de São José dos Campos, ressaltaram o caráter estratégico da indústria de games para o desenvolvimento econômico, bem como seus benefícios para a educação.

“Essa área de games é importante porque consegue sincronizar os ciclos de desenvolvimento econômico e inovação tecnológica, aumentando a competitividade das empresas. A tecnologia utilizada na produção de games permite desenvolver uma série de soluções nas áreas de ensino, simulação e certificação, sobretudo no setor aeronáutico”, destacou o secretário de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia.

O diretor do Turismo e coordenador do seminário, frisou que o objetivo do evento é desmistificar a indústria de games no Brasil. “Temos que valorizar as iniciativas locais e fortalecer a cadeia produtiva dessa indústria tão importante para a economia do país”, afirmou.

O prefeito e o diretor do Parque Tecnológico ressaltaram ainda o perfil criativo dos empreendedores da indústria de games, na maioria jovens. “A juventude é uma característica dos empresários do ramo da tecnologia, particularmente no setor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e, mais ainda, no segmento de games”, enfatizou o prefeito, que apresentou o programa Escola Interativa. “O objetivo é sintonizar as salas de aula com a realidade atual, em que a tecnologia faz parte do dia a dia das pessoas. A longo prazo, queremos formar cada vez mais jovens para a TIC”, acrescentou.

“No Parque Tecnológico tratamos de inovação e criatividade. Neste contexto, é indispensável que nos voltemos para os jovens, que não estão amarrados à ciência tradicional. A gameficação na educação é vital para fomentarmos um empreendedorismo de sucesso”, disse o diretor do ParqueTecnológico. “É preciso pensar no game como uma ferramenta de aceleração do aprendizado”, concordou Fernando Abrache, professor da FATEC, que ministrou uma palestra sobre Gameficação no Ensino e Treinamento de Pessoas.

“A indústria de games tem alta intensidade tecnológica, altíssimo potencial criativo, é não poluente e paga bem”, resumiu Bernardo Manfredini, representante da Associação Brasileira de Games (Abragames).

Além da Prefeitura, do CECOMPI e da CBEE, participaram do seminário empresas importantes do ramo como a Hive, maior desenvolvedora de games do Brasil; a Riot Games, criadora do League of Legends – o game mais jogado do mundo com 67 milhões de usuários ativos por mês; a RSD, uma empresa de São José dos Campos que desenvolve dispositivos de treinamento para as áreas de Defesa e Aviação Civil; e a fabricante de robôs industriais Kuka.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *