Em Pinda, Palacete 10 de Julho será reaberto após 7 anos de restauro

Por: Share:
Palacete passou por restauro e volta a funcionar em dezembro de 2014. (Foto: Luis Claudio Antunes/PortalR3)
Palacete passou por restauro e volta a funcionar em dezembro de 2014. (Foto: Luis Claudio Antunes/PortalR3)

O Palacete 10 de Julho será entregue novamente à população, que poderá visitar o local a partir do dia 2 de dezembro. Além do restauro completo do prédio, também será entregue o Centro de Memória “Barão Homem de Mello”, localizado no porão do Palacete.

publicidade

Por ser um prédio tombado pelo Condephaat, o palacete tem a capacidade de receber até 100 kg por metro quadrado de uma só vez. Dessa forma, a entrega oficial das obras será realizada no dia 1º de dezembro, em evento fechado, com número limitado de convidados devido à capacidade do prédio. Trata-se de uma formalidade técnica, quando a Paulicéia Arquitetura e Restauro devolverá, oficialmente, o prédio para a Prefeitura de Pindamonhangaba. Durante os sete anos de obra, a Pauliceia, como Proponente perante o Ministério da Cultura, foi responsável pelo edifício, que passou por rigoroso e criterioso processo de restauração.

O restauro teve patrocínio das empresas Novelis, Tenaris, Sabesp e Cesp, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, também conhecida como lei Rouanet, que possibilita empresas e cidadãos aplicarem uma parte do Imposto de Renda devido em ações culturais.

De acordo com a lei nº 5479, de 4 de dezembro de 2012, o Centro de Memória “Barão Homem de Mello” será vinculado ao Departamento de Patrimônio Histórico, da Secretaria de Educação e Cultura da Prefeitura, que também estará sediado no palacete. O centro de memória abrigará toda a documentação pertencente aos arquivos históricos “Athayde Marcondes” e “Waldomiro Benedito de Abreu”, que atualmente se encontram no Museu Histórico e Pedagógico Dom Pedro I e Dona Leopoldina, e contam com acervo datado a partir de 1701.

INVESTIMENTO
A obra de restauração e adaptação do Palacete 10 de Julho em Centro de Memória Barão Homem de Mello obteve junto ao MINC – Ministério da Cultura, através da Lei Rouanet, a pré-qualificação em três Fases:

1ª Fase – Pronac 065654 – R$ 870.000,00
Patrocinada exclusivamente pela Novelis.

2ª Fase – Pronac 073290 – R$ 4.210.490,00
Patrocinada pelaTenaris, com o valor de R$ 2.610.490,00; Sabesp, com o valor de R$900.000,00; e pelaNovelis, com o valor de R$ 700.000,00.

3ª Fase – Pronac 107203 – R$ 3.312.252,22, captados até o momento R$ 2.506.731,00.
Patrocinada pela Sabesp, com o valor de R$ 1.000.000,00; pela Tenaris, com o valor de R$ 689.930,00; pela Novelis, com o valor de R$ 396.801,00 e pela Cesp, com o valor de R$ 200.000,00.

Vista dos fundos do Palacete 10 de Julho. (Foto: Luis Claudio Antunes/PortalR3)
Vista dos fundos do Palacete 10 de Julho. (Foto: Luis Claudio Antunes/PortalR3)

VISITA
A partir do dia 2 de dezembro, a visitação ao Palacete será realizada de acordo com o protocolo dos órgãos regulamentadores do patrimônio histórico, pela ordem em que foi feito o restauro. Haverá duas entradas: pela rua Deputado Claro César e pela rua Rui Barbosa. Com o restauro, o prédio recebeu elevador e agora tem acessibilidade total. A entrada será gratuita.

VÍDEO FEITO PELA TENARIS, uma das patrocinadoras do restauro

PATRIMÔNIO HISTÓRICO
O Palacete 10 de Julho, construído na segunda metade do século XIX para ser residência dos Barões de Itapeva foi elevado à categoria de Patrimônio Histórico ao ser tombado pelo CONDEPHAAT– Processo nº 7864/69, por constituir um exemplar da arquitetura da nobreza cafeeira do Vale do Paraíba.

Em 1929, foi desapropriado e ocupado pela Prefeitura até o ano de 2007, com o início das obras de restauração.

VEJA TAMBÉM