Circolo Italiano di Taubaté realiza 11ª Edição Prosa no Museu

Por: Share:

PortalR3As ações afirmativas fazem parte de um dos eixos de atuação da SEPPIR (Secretaria das Políticas de Promoção da Igualdade Racial). A SEPPIR foi criada em 2003, como fruto da organização política dos movimentos negros e das mobilizações dos movimentos sociais pós-ditadura, contexto que contribuiu para o processo de desmistificação da crença ilusória de que no Brasil existe igualdade racial.

Sua criação se concretizou devido ao fortalecimento do processo político dessa organização, mediante a participação do Governo Brasileiro na 3º Conferência Mundial contra o Racismo, realizada na cidade de Durban (África do Sul), em 2001, onde a partir de então o Brasil assumiu o compromisso do combate ao racismo como responsabilidade primária do Estado.

Convidamos para prosear conosco Solange Cristina Barbosa, que é licenciada em História pela UNISAL (Universidade de Lorena), especialista em Turismo de Base Comunitária, Consultora da UNESCO para o Programa Internacional “Rota do Escravo”, criadora e coordenadora do Programa Cultural Turístico “Rota da Liberdade”. Solange trará sua contribuição sobre este assunto de extrema importância, e que cada vez mais tem sido pautado nos fóruns populares.

Ações Afirmativas! Você sabe o que isto significa? Quem formula? Quem se beneficia? O que envolve as Ações Afirmativas? Elas são realmente eficazes? Ajudam ou atrapalham?

Nas palavras de Solange, “as Ações Afirmativas são necessárias, pois existem as tais minorias e, mesmo sem querer, diversas pessoas fazem parte destas minorias. Digo sem querer porque ninguém deseja ser excluído, marginalizado, mas esta é a nossa realidade. Ações afirmativas, então, são formas de correção de desvios e exclusão de minorias”.

Teremos também como convidada, Maria Dalila, do Quintal dos Ofícios, que contribuirá com reflexões sobre o panorama das africanidades na cultura afro brasileira. Maria Dalila, que é formada em Direito e pós-graduada em História da Educação, comenta que as africanidades presentes na formação da nossa cultura e as artes africanas são inspiradoras de grandes artistas, influências na gastronomia, nos fazeres, artesanato, na moda e no cotidiano. Segundo ela, isto também é uma atitude afirmativa!

Além disso, teremos a honra de prestigiar, durante esta edição do Prosa no Museu, a exposição “Benedito, fé, fazeres e devoção”, produzida em conjunto por nossas convidadas. A exposição é uma homenagem à cultura popular por meio da figura de Geraldo de Paula Santana, o Mestre Paizinho, que no mês de setembro deste ano completou 10 anos como rei do Congo do Estado de São Paulo. E ainda nosso tradicional Café Caipira e a banca de Troca de Livros!

O 11° prosa no Museu acontece no dia 29 de novembro às 18 horas no Museu da Imigração Italiana de Quiririm, que fica na Avenida Líbero Indiani, 550 – Quiririm – Taubaté, SP.

VEJA TAMBÉM