Volkswagen na Comunidade premia instituições vencedoras de 2014




IA3 – Instituto de Acolhimento e Apoio ao Adolescente, de Pindamonhangaba (SP). (Foto: Divulgação/Volkswagen)

IA3 – Instituto de Acolhimento e Apoio ao Adolescente, de Pindamonhangaba, foi uma das premiadas em 2014. (Foto: Divulgação/Volkswagen)

A Fundação Volkswagen, que é responsável por coordenar os investimentos sociais da Volkswagen do Brasil há 35 anos, revelou na tarde da sexta-feria (17) os dez projetos sociais vencedores da 7ª edição do concurso “Volkswagen na Comunidade”. Cada um dos projetos contemplados receberá um prêmio em dinheiro, que deve ser investido em ações de transformação social.As instituições vencedoras e finalistas também ganham um curso de Gestão de Projetos Sociais.

publicidade

A cerimônia foi realizada no Centro de Treinamento da Volkswagen do Brasil, em São Paulo, e contou com a presença do vice-presidente de Recursos Humanos da Volkswagen do Brasil e presidente do Conselho Curador da Fundação Volkswagen, Holger Rust, e do diretor de Assuntos Jurídicos da Volkswagen do Brasil e superintendente da Fundação Volkswagen, Dr. Eduardo Barros, da diretora da Fundação Volkswagen, Keli Smaniotti, entre outros executivos e colaboradores da empresa, além dos representantes das organizações premiadas e jornalistas convidados.

Prêmios do “7º Volkswagen na Comunidade”
O “7º Volkswagen na Comunidade” entregou o total dez prêmios às instituições sociais vencedoras, sendo que nove projetos foram contemplados pela primeira vez.

O 10º prêmio leva uma nomeação especial, o “Prêmio de Sustentabilidade”, que é oferecido à instituição que já foi contemplada na edição anterior do concurso e que melhor geriu durante o ano os recursos, recebidos na ocasião, otimizando e ampliando os resultados. Neste ano, o vencedor do “Prêmio de Sustentabilidade” foi a Casa de Apoio à Criança com Câncer Durval Paiva, de Natal (RN), com seu projeto Viva a Cultura. Dessa forma, a instituição, que já havia recebido um prêmio como vencedor no ano passado, recebeu novamente um reconhecimento em dinheiro, para investir na continuidade de suas ações.

Em seu histórico, o “Volkswagen na Comunidade” já entregou 62 prêmios em dinheiro, beneficiando 14.125 pessoas diretamente. As sete edições já realizadas somam 2.853 projetos inscritos em todo o Brasil.

Conheça as vencedoras do “7º Volkswagen na Comunidade” e seus projetos:

Casa Crescer e Brilhar, São Vicente (SP)
Projeto: Bem me quer
O projeto irá estruturar e ampliar as oficinas de cabeleireiro profissionalizante e artesanato, visando à melhoria da qualidade de vida de mulheres em situação de vulnerabilidade social (incluindo as mulheres do sistema prisional). Para que suas ações sejam autossustentáveis, as oficinas oferecem qualificação profissional, tendo como meta a geração de renda e oportunidades de trabalho.

Núcleo de Apoio ao Pequeno Cidadão, de São Bernardo do Campo (SP)
Projeto: Rádio Cidadão – comunidade em ação
O projeto pretende que estudantes do 3º ao 5º ano do ensino fundamental se apropriem efetivamente da leitura e da escrita, produzindo programas de rádio para serem veiculados na internet, além de um curta-metragem. Com isso, ocupa o espaço dessas crianças como cidadãos; aproxima as famílias e a comunidade do espaço escolar, valoriza os saberes da comunidade e possibilita que os participantes sejam capazes de se expressar, verbalizando suas ideias sobre temas diversos de forma clara e objetiva.

Apae – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, de Ibaté (SP)
Projeto: Pedia Suit: uma nova abordagem da estimulação sensorial
O projeto tem como objetivo realizar a compra de equipamento que favoreça a normalização do tônus muscular, aumentando a variedade de movimentos ativos, força, resistência e controlando os grupos musculares que acabam de ganhar força, permitindo melhora de suas habilidades funcionais, visando à independência do indivíduo.

Associação Sagrada Família de Nazaré, de Curitiba (PR)
Projeto: Juventude: um sinal de esperança
O valor do prêmio será usado para aquisição de máquinas e equipamentos agrícolas de pequeno porte para a chácara que acolhe homens em situação de alcoolismo e dependência química. Por meio de laborterapia e acesso à terra, os acolhidos cultivam milho, feijão, alho, cebola e hortaliças, desde a preparação, plantio, colheita e até conservação do solo, visando a preservação do meio ambiente, geração de trabalho e renda e alimentação para os animais da fazenda.

IA3 – Instituto de Acolhimento e Apoio ao Adolescente, de Pindamonhangaba (SP)
Projeto: Vem ser
Projeto de qualificação profissional em técnicas artesanais (produção de papel artesanal, patchwork, bordados, forrações, costura, entre outros) que utiliza como parte de seus insumos o reaproveitamento de materiais (retalhos, uniformes usados, saco de cimento, papeis diversos, etc.). Tem como principal objetivo a geração de trabalho e renda aos beneficiários, estimulando neles uma conduta empreendedora.

Lar Carlos Augusto Braga, de Vinhedo (SP)
Projeto: Valorizando potenciais
A instituição pretende melhorar a qualidade nos atendimentos dos usuários que apresentam múltiplas deficiências, por meio da aquisição de equipamentos e produtos de estimulação e tecnologia assistiva, que buscam diminuir deformidades corporais, proporcionar melhor funcionalidade e conforto. Dessa forma, contribui-se também com a redução das crises de ansiedade e de autoagressão; potencializando as habilidades motoras, sensoriais, afetivas, e sociais.

Apae – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, de São Paulo
Projeto: Brinquedoteca da Apae de São Paulo
Com a aquisição de novos brinquedos e mobiliário adequado, a instituição deseja oferecer um ambiente que seja acolhedor, limpo, confortável, seguro, diferente e mágico para os atendidos e seus acompanhantes em todas as faixas etárias. Além disso, irá oferecer formação técnica aos profissionais para que possam proporcionar a integração entre as crianças, dando oportunidade para brincar, aprender a jogar, a participar, a esperar a sua vez, a competir e a cooperar.

Associação Sociocultural Bataka, de Belo Horizonte (MG)
Projeto: Em busca da autoestima através da dança
Com as aulas de danças afro-brasileiras, o projeto desperta nos participantes a busca e fruição consciente de sua identidade brasileira, permitindo que exerçam a cidadania por meio da arte e da cultura. Com isso, oferece educação artística e profissional para inclusão no mercado artístico, propicia diálogos entre a dança afro-brasileira e outras áreas artísticas (música, artes plásticas e teatro) e aborda a prática artística da dança afro-brasileira na contemporaneidade.

Associação Paranaense de Reabilitação | Escola de Educação Especial Nabil Tacla, de Curitiba (PR)
Projeto: O uso da informática e da tecnologia assistiva no processo de ensino: aprendizagem do aluno com deficiência física neuromotora
O projeto prevê a criação de um laboratório de informática para auxiliar os alunos com deficiência física neuromotora no processo de alfabetização. Possibilitará ao aluno com paralisia cerebral a escrita, usando tecnologias assistivas adequadas ao computador, tornando esse a ferramenta essencial para o exercício da expressão desses alunos, ampliando sua participação social.