Seleção Brasileira Feminina é hexa na Copa América de Futebol




Os títulos foram conquistados nos anos de 1991, 1995, 1998, 2003, 2010 e 2014. Foto: Divulgação/Assessoria CBF)

Os títulos foram conquistados nos anos de 1991, 1995, 1998, 2003, 2010 e 2014. Foto: Divulgação/Assessoria CBF)

A Seleção Brasileira Feminina é hexacampeã da Copa América, tendo conquistado o título em 1991, 1995, 1998, 2003, 2010 e 2014. A única edição que o Brasil não venceu foi em 2006.

publicidade

Neste ano, em 2014, foram sete confrontos. Na primeira fase, o Brasil goleou a Bolíva (6 a 0) e o Paraguai (4 a 1). Venceu o Chile por 2 a 0 e perdeu para a Argentina por 2 a 0 – única derrota. Com nove pontos avançou para a última fase. No quadrangular final, outras goleadas: 4 a 0 sobre o Equador; 6 a 0 em cima da Argentina. Na última rodada, na final contra a Colômbia, houve empate de 0 a 0.

Cristiane é a artilheira deste ano com seis gols e a Seleção Brasileira foi a equipe que mais marcou gols na competição: 22 no total; contra apenas três sofridos.

Na primeira edição, em 1991, em Maringá, era apenas um grupo com Brasil, Venezuela e Chile. A Seleção goleou as duas equipes: 6 a 1 contra o Chile e 6 a 0 contra a Venezuela. Com os resultados, sagrou-se campeão.

Em 1995, a competição, realizada em Uberlândia, tinha apenas um grupo: Brasil, Argentina, Chile, Equador e Bolívia. A Seleção goleou o Equador por 13 a 0; 6 a 1 contra o Chile; 8 a 0 contra a Argentina; e 15 a 0 contra a Bolívia. O Brasil ficou em primeiro lugar, com 12 pontos, e a Argentina em segundo, com nove. As duas equipes então se enfrentaram na grande final: 2 a 0 para a Seleção Brasileira. Sissi foi a artilheira com 12 gols.

Em 1998, em Mar del Plata, na Argentina, o torneio já era disputado nos mesmos moldes de hoje, com dois grupos. Naquele ano, o Brasil ficou no Grupo A, com Peru (15 a 0), Colômbia (12 a 1), Chile (7 a 0) e Venezuela (14 a 0). Brasil e Peru passaram para as semifinais no Grupo A e Argentina e Equador, no Grupo B. A Seleção Brasileira goleou o Equador por 11 a 1; e decidiu o título mais uma vez com a Argentina: 7 a 1 e o tricampeonato. Roseli foi a artilheira com 16 gols.

Em 2003, em Lima, no Peru, o Brasil, por ter sido campeão em 1998, iniciou a disputa já na fase final. Argentina, Colômbia e Peru completavam o grupo da etapa final. No primeiro jogo, 3 a 2 contra as hermanas; depois, 3 a 0 em cima das peruanas; e por fim, 12 a 0 contra a Colômbia. Com três vitórias, a Seleção ficou com nove pontos; 18 gols marcados e dois sofridos; e mais um título sul-americano.

Em 2006, pela primeira vez, a Seleção Brasileira não conquistou o título, mas teve o melhor ataque (18 gols) e a artilheira da competição: Cristiane, com 12 gols. No torneio, em Mar del Plata, o Brasil estava no Grupo B, com Paraguai (4 a 1), Venezuela (6 a 0), Peru (2 a 0) e Bolívia (6 a 1). Na fase final, goleou o Uruguai e o Paraguai por 6 a 0, mas, na última rodada, perdeu para a Argentina por 2 a 0 e ficou em segundo lugar.

Em 2010, no Equador, a Seleção Brasileira ficou em primeiro lugar do Grupo B, com 12 pontos: Colômbia (2 a 1), Paraguai (3 a 0), Venezuela (4 a 0) e Uruguai (4 a 0). Na etapa final, goleou a Argentina por 4 a 0; goleou a Colômbia por 5 a 0; venceu o Chile por 3 a 1 e ficou mais uma vez com o título. Marta foi a artilheira com nove gols e o Brasil teve a melhor defesa, tendo sofrido apenas um gol.