Em Pindamonhangaba, projeto Fraldas ajuda dezenas de famílias

O projeto reúne mão de obra voluntária, onde todos têm espírito de solidariedade e amor em ajudar o próximo




Linha de produção de fraldas em Pindamonhangaba. (Foto divulgação/PortalR3)

Linha de produção de fraldas em Pindamonhangaba. (Foto divulgação/PortalR3)

O projeto Fraldas é desenvolvido por meio da Assistência Social da Prefeitura de Pindamonhangaba e atende dezenas de famílias. Atualmente está em dois locais, na região do Alto Cardoso e também em Moreira César. A unidade do Distrito foi inaugurada recentemente e já conta com mais de 40 famílias que serão beneficiadas.

O projeto reúne mão de obra voluntária, onde todos têm espírito de solidariedade e amor em ajudar o próximo. Muitos contam que fazem fraldas para conhecidos ou simplesmente tem o prazer de fazê-las para que sejam entregues às famílias que necessitarem.

Esta ação social atende idosos acamados, acidentados e crianças especiais de famílias de baixa renda. Para ser beneficiado basta procurar o Cras mais próximo para se informar. Os amigos ou familiares das pessoas que necessitam deste material devem apresentar RG, CPF e comprovante de renda do beneficiado.

Em Moreira César o projeto está instalado ao lado do Pronto Atendimento e as fraldas são produzidas as terças e quintas-feiras. Na região do Alto Cardoso o programa funciona na sede da Guarda Municipal e os trabalhos acontecem as segundas, quartas e sextas-feiras. O horário de atendimento, em ambos os locais, é das 9 às 12 horas e das 14 às 17 horas.

Os amigos ou familiares das pessoas de baixa renda que utilizam fraldas produzem este material e levam a quantidade suficiente. São produzidos três tamanhos geriátricos, P, M e G, já as infantis são M, G e Extra G. O projeto fabrica mais de 13 mil fraldas por mês.

AJUDANDO O PRÓXIMO
Gildete Alves Pereira Scarlato é voluntária do projeto há seis anos e conta que desde criança sempre gostou de ajudar os demais. “Tinha uma senhorinha que não era minha parente, mas que eu gostava muito dela. Quando ela precisou de fraldas, me falaram deste projeto e eu resolvi vir aqui para fazer essas fraldas. Já ajudei muita gente e gosto muito disto. Me faz bem. A gente nunca sabe o dia de amanhã e tenho amor em ajudar. Graças a Deus estas fraldas estão ajudando muitas pessoas, pois são muito caras”.

Ermelinda Aparecida Soares, “Ziza”, conta que é voluntária há seis anos e quando conheceu as atividades estava com depressão e melhorou. Ela diz que quando não vai ao projeto sente falta. “Esse projeto beneficia muita gente, pois ajuda as pessoas que precisam das fraldas. Quem quiser ser voluntário, venha e não percam tempo, porque não sabem o bem que isso faz. Às vezes a gente pensa que está fazendo o bem para alguém e não sabe o bem que está fazendo para nós mesmos. Aqui é uma alegria total. não há desânimo “.

Jadir Fernandes da Silva faz as fraldas para a esposa há aproximadamente um ano e comenta que o dinheiro que gastaria com fraldas serve para comprar outras coisas, como por exemplo os remédios que a esposa precisa. “Estas fraldas são muito boas, melhores do que as que são compradas. A qualidade dela é excelente e eu me sinto bem fazendo estas fraldas, além de levá-las para minha esposa também ajudo mais gente”.