Ciclismo

Gideoni Monteiro leva ouro na perseguição individual do Pan de Ciclismo




O Brasil conquistou sua primeira medalha de ouro no Campeonato Pan-Americano de Estrada e Pista disputado na cidade argentina de Mar Del Plata. O ciclista sergipano Gideoni Monteiro, de 22 anos, venceu neste domingo (5) a prova de perseguição individual com a marca de 4min35s863, batendo o recorde nacional da prova. O outro brasileiro no velódromo, Thiago Nardin, conquistou a quarta colocação.

O primeiro lugar foi bastante comemorado pelo atleta, que derrotou o ciclista da casa Mauro Agostini (4min39s763) por mais de 3 segundos. Foi a segunda medalha no evento, já que, no sábado (4), a equipe masculina de perseguição levou a prata.

Atleta defende a equipe de Ribeirão Preto

Para Gideoni Monteiro, o resultado é fruto da decisão de trocar a Itália pelo Brasil no ano passado. Geralmente, os atletas do ciclismo fazem o caminho inverso. “Não tenho como esconder tanta felicidade, estou muito satisfeito com esse resultado. Fui muito criticado após retornar da Itália para voltar a competir pelo Brasil e acredito que não existe resposta melhor do que uma vitória neste nível”, relata o medalhista de ouro e novo recordista brasileiro da prova de perseguição individual.

“Gostaria de agradecer à Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) por me dar a oportunidade de representar mais uma vez o nosso país”, conclui o atleta da equipe de ciclismo de Ribeirão Preto (São Francisco Saúde / KHS / SME Ribeirão Preto). A medalha ajuda o Brasil a somar pontos no ranking da União Ciclística Internacional (UCI) para os Jogos de Londres/2012. A lista completa de classificados será anunciada em maio.

A prova de perseguição individual é disputada primeiramente por uma classificatória que decide os confrontos das séries finais. Após esta fase, dois competidores se enfrentam percorrendo uma distância de 4km. Os ciclistas largam em lados opostos dentro do velódromo e será declarado vencedor o atleta que alcançar seu adversário ou obter o menor tempo durante o percurso.

“A competição tem um nível técnico muito alto. Todos querem a vaga olímpica e este resultado do Brasil veio para ratificar todo o trabalho que vem sendo realizado pela CBC. Em pouco menos de um ano de projeto já conseguimos observar que estamos no caminho certo, nossos atletas estão melhorando muito seus tempos. E tenho certeza que estamos começando um grande ciclo de bons resultados”, frisa Francisco Cusco, diretor do departamento de alto rendimento da CBC.